You are currently browsing the tag archive for the ‘periodismo’ tag.

Como já disse aqui outras vezes, a imprensa de língua espanhola dá de mil a zero na brasileira no que tange a não ser careta e ousar. A capa em questão é do jornal colombiano El Tiempo e, como podem ver, é praticamente como se tivéssemos posto o periódico no espelho.
Porém, ela está toda ao contrário mesmo, com direito a todas as fotos serem de pessoas de costas. O motivo? Dar uma sacolejada na galera e solidarizar-se com os protestos contra as FARC. E para quem acha que uma determinada coisa deletéria à sociedade perde força se solenemente a ignorarmos, o jornal já disse: dar as costas ao problema não faz com que ele desapareça. E o pedido para que o povo saia para a marcha de protesto.

No Brasil, um dos poucos jornais que se aventurou a quebrar a caretice reinante em nossa imprensa foi o Correio Braziliense. Porém, o que El Tiempo fez é algo de uma elegância ímpar, uma vez que mantiveram exatamente a mesma diagramação sisuda de costume, espaços bem demarcados, apenas invertendo as letras e pondo só fotos de pessoas de costas.
Segue o link de onde se pode ler mais a respeito da tal capa que, creio, poderá ganhar lugar de destaque no panteão das melhores de todos os tempos. É capa que chama ao debate, dá um tapa na cara do leitor para que ele preste atenção ao problema e em momento algum cai na hipocrisia da imparcialidade ou do “você acha isso ruim, mas há gente que conheço que acha legal”.

A despeito das piadinhas que sempre são geradas quando falamos de nosso vizinho de fronteira, em alguns detalhes o Paraguai supera em muito o Brasil.

Um deles é o aprofundamento da mídia. E olha que falamos de um país tão pobre quanto o Brasil e talvez com gente tão ou mais maciçamente ignorante que a nossa.

Abra um caderno de esportes por lá e vai tomar um susto de ver que todas as divisões, sem exceção, têm cobertura pela imprensa de lá. E mais que isso, há tabelas e mais tabelas dos campeonatos. Ué, mas não é o leitor que não se interessa por essas coisas?

E olha que falamos de futebol, pois como sabemos, na política, as coisas são um tanto mais passionais na América que fala espanhol…

Quem acompanhou as notícias dos meios online deve ter notado que o prêmio mundial The Best of Blogs premiou A mis 95 como o melhor blog do mundo em espanhol. Ele é feito por uma senhora nascida em 1911 e que completa 96 anos em 23 de dezembro. Maria Amelia Lopez é o nome da blogueira mais velha do mundo.

Como boa conterrânea de Cervantes que é, a vovó blogueira solta umas bem típicas de quem é de lá, como o motivo de ter ganho o blog: “meu neto, que é bem sovina, deu-me de presente este blog”. E dona Maria adorou.

E, mais ainda, ela fala de suas memórias da Guerra Civil Espanhola, conversa com internautas de todo o mundo e também comenta do mundo em geral. E um dos comentários diz respeito justamente a um jornalista:

Outro dia, vi um rapaz jovem no canal de televisão daqueles que querem explicar agora. Esse rapaz está começando a carreira e ridicularizava nada menos que a Duquesa de Alba.

Tirou umas fotografias e começou a rir dela. De como falava, de que carregava cães… tirava sarro da senhora. De alta alcunha, queira ou não, amigo. É uma aristocrata.

Tirava sarro de uma senhora de idade. Mais respeito, rapaz. Se quer ser jornalista não será nunca. Por não saber respeitar ou ter educação, não pode ser um grande jornalista.

Nem apresentador. Não se faz troça com gente de idade. Ainda mais de uma personalidade. Não achei graça alguma. Desliguei a televisão e nem quis saber como ele se chamava.

Não vejo essas coisas desagradáveis

Detalhe: a velhinha é esquerdista, fã de José Luis Zapatero e, como podem ver, exige respeito aos mais velhos. E, como podem ver também, não admite que a tratem como idiota.

É também interessante ler alguns comentários:

 Não culpe o garoto da TV, pois ele seguramente está cobrando uma ninharia e não tem culpa de nada. Apenas quer trabalhar. Quem tem culpa são os patrões que estão explorando esses jovens e por 600 euros, os obrigam a ter de engolir seus sentimentos e educação, fora fazer o que mandam.
Como jornalista das nova gerações – assim digamos, pois tenho 28 anos – realmente me dá muita vergonha ver pessoas alarearem um título e o sujar dessa maneira. Por sorte, há muitos profissionais que valem a pena.

Respeito é o ponto de partida para TUDO, absolutamente TUDO na vida.

Enormes saudações da Argentina. Teu blog me encanta e creio que já lhe disse uma vez…

Felicitações

Beijos

Bravo! Concordo completamente: “…las cosas desagradables no las veo.”

Infelizmente as massas ditam a oferta… por isso há tanta desgraça nos media!

Cumprimentos!

De fato, minha senhora, é uma barbaridade o que comete essa classe de jornalista. Só vendem agressão, deboche e falta de respeito. E isso se vê sobretudo na chamada Prensa del Corazón. Sou jornalista, mas tais práticas me desagradam tanto como a ti. Saudações guatemaltecas.

Alguma semelhança com a imprensa brasileira?